Devolvendo sonhos

15 fevereiro 2016

Eu deixei de acreditar no amor, virei uma pessoa amarga, esqueci dos sonhos, cai na realidade. Não era isso que diziam? "Acorda pra realidade" e eu acordei.
Larguei tudo aquilo que acreditava e fui "crescer".
Fui com a bagagem vazia, larguei tudo no caminho, larguei os sonhos, deixei tudo pra trás... Até ver ela chegar.

Com seus olhos indecifráveis, seu jeito sereno, sua voz calma. Ela era tudo.
Ela vinha em silêncio e de vez em quando sumia, quando voltava, trazia consigo um dos sonhos que eu larguei no caminho, ela vinha de mansinho e arrancava um sorriso, pegava em minha mão e dizia "vem, vai ficar tudo bem" e ai não tinha como dizer não. Se acaso ela me mandasse pular, eu pularia. Nem adianta me vim com essas de que não se deve confiar, porque na minha opinião a gente tem que amar.
Amar por inteiro, sem meios termos, amar com corpo, mente e alma. Não deixar nada pra trás, fechar os olhos e ir. Era isso que ela fazia. "Feche os olhos;" ela me disse, eu fechei, sem questionar, sem duvidar, eu não queria perguntar porquê, eu só queria a fazer sorrir.
Quando os sonhos voltaram, as pessoas estranharam, pediram pra ir com calma, "você já se magoou" eles diziam, mas eu não me importava. Qual era a graça de amar sem se entregar?
Ela fazia meu mundo mais feliz, me fazia bem, me trouxe o sono de volta, arrumou os meus sonhos em ordem e segurou a minha mão. Nada mais no mundo importava.
Eu estava bem, feliz, pronto para seguir ela aonde quer que ela vá,

7 comentários:

  1. Ownnsss Bia que lindo!!
    Fala de mim, mas você também tem palavras lindas na ponta da caneta hein!

    Realmente, não a graça alguma em amar e não se aventurar um pouco que seja na entrega.
    É preciso cometer loucuras, é preciso vencer os medos, é preciso ter fé de que mesmo que não de certo o amor continua sendo, o melhor sentimento que existe!

    ResponderExcluir
  2. Uau, um pezinho de escritora que isso hehe

    ResponderExcluir