Eu li: A estrela que nunca vai se apagar

01 fevereiro 2016

Autora: Esther Earl, Lori Earl e Wayne Earl
Editora: Intrínseca 
Páginas: 448
Livro único


Sinopse: Diagnosticada com câncer da tireoide aos doze anos, Esther Grace Earl era uma adolescente talentosa e cheia de vida. Fazendo jus ao nome, que em persa significa “estrela”, ela marcou todos em seu caminho com sua generosidade, esperança e altruísmo enquanto enfrentava com graciosidade o desgaste físico e mental causado pela doença. Filha, irmã e amiga divertida, alto-astral e inspiradora, Esther faleceu em 2010, logo após completar dezesseis anos, mas não sem antes servir de inspiração para milhares de pessoas por meio de seu vlog e dos diversos grupos on-line de que fazia parte. A estrela que nunca vai se apagar é uma biografia única, que reúne trechos de diários, textos de ficção, cartas e desenhos de Esther. Fotografias e relatos da família e de amigos ajudam a contar a história dessa menina inteligente, astuta e encantadora cujos carisma e força inspiraram o aclamado autor John Green a dedicar a ela sua obra best-seller A culpa é das estrelas.

Resenha: Essa não é uma resenha qualquer, não é como falar sobre qualquer outro livro porque esse é vida real. 
Confesso que no início fiquei um pouco resistente a ler esse livro. Vi vários booktubers falando sobre ele, mas achava que não tinha nada demais... Pois é, me enganei feio. 
Logo nas primeiras páginas do livro eu já estava lá, chorando, emocionada pelo relato de um dos amigos. 
Mas ok, deixa eu explicar. 
Esse livro foi feito pelos pais de Esther, Lori e Wayne. Depois da morta da filha, seus pais reuniram desenhos, cartas, pedaços de seu diário, relatos médicos, pedaços de conversas dela com os amigos e então essa Biografia é muito especial.
Esther tinha câncer, mas não parou de viver por causa dele. Mesmo não podendo fazer certas coisas, ela se mantinha feliz, fazia bem aos amigos e a sua família, ela sem dúvida é uma garota que eu gostaria de ter conhecido.
Não sei se foi por ler partes de seu diário, ou por saber tanto sobre a vida dela, mas ao final do livro era como se eu tivesse ganhado/perdido uma amiga. 
Eu nunca chorei tanto na  minha com um livro, como chorei por esse. Sério gente, é de se emocionar do começo ao fim.


Não vou falar sobre personagens, porque como eu disse, isso é vida real.
Mas é um dos livros que sem dúvidas eu recomendaria para maioria das pessoas!

Beatriz Prado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário