18 Primaveras

05 outubro 2016

Hoje acordei da mesma maneira, com o pé um pouco fora da cama, o cobertor enrolado em um dos cantos. Como sempre demorei um pouco pra processar a informação. O que tinha hoje mesmo? Ah, verdade.
Finalmente os tão esperados (ou não mais) dezoito anos. Passei a adolescência toda esperando ele chegar, achando que seria um milagre na minha vida. Eu ficaria mais bonita, teria uma festa maravilhosa rodeada de amigos, dançaria muito e comemoraria a chegada da tão esperada maior idade, mas não foi bem isso que aconteceu, essas ideias todas nasceram de filmes que passavam em sessões da tarde.
Confesso que fiquei uns longos cinco minutos me olhando no espelho pela manhã. O que estava diferente? O que tinha mudado em mim?
Vi que mudei sim, lógico que  não dá noite para o dia, não porque fiz 18, mas sim ao longo dos últimos dias. Eu amadureci bastante ultimamente, criei o que eu não tinha.
Hoje meu lado menina acordou, assim como em todos os aniversários. Ela ficou ansiosa, querendo saber o que aconteceria ao longo do dia, ao longo do seu dia. Chega ser estranho que a gente tenha um dia só pra nós, mas meu lado menina adora isso. Ela ficou se perguntando se alguém ligaria, se receberia mensagens, presentes, mas nada disso aconteceu. Não como ela imaginava.
Hoje meu lado mulher também acordou e confesso que ficar no meio dessas duas as vezes me causou algumas lágrimas. Uma dura demais, e a outro sonhadora demais.
Alguns "melhores amigos" nem sequer se lembraram da data, algumas pessoas que conheci na semana passada, lembraram. Esperei de algumas o que veio de outras.
Não é atoa que o nome do meu primeiro livro se chama Mudanças, acho que é porque essa palavrinha pequena tem tanto a dizer sobre mim, que vivo em constante mudança, constante transformação.
Hoje vi que não mudamos em um dia em especial, mas vamos aos pouquinhos, mudando aqui e ali.
A maior idade traz liberdade, mas também traz responsabilidade e hoje me senti um pouco estranha ao imaginar certas situações e ver que tudo bem, ver que ninguém se importaria, ninguém pensaria em chamar os meu pais e por incrível que pareça a liberdade me pareceu estranha.
Nada mudou em mim, nem sequer uma coisinha, mas ultimamente aqui dentro tudo muda a todo instante, então tudo bem.

Percebi que o tempo vai dizimando as pessoas, deixando aquelas verdadeiras, aquelas que você realmente quer e precisa ter por perto, então tudo bem.
Hoje eu me dei conta que nasci na minha época preferida do ano, na primavera. E passo por primaveras a 18 anos, acho que talvez seja por isso que eu sou tão apaixonada por elas.
Sinto que floresço, renasço, existo junto com as flores.

Nada muda e ao mesmo tempo, tudo é diferente.

E o que seria de mim, se não retratasse meus momentos  em palavras?

Um comentário:

  1. Eu não sei muito da vida, nem de como as pessoas pensam sobre ela. Mas uma coisa eu sei com certeza, a pouco mais de um ano conheci uma garota, no inicio era apenas uma garota, mas com o passar dos dias, ela se mostrou unica, e realmente especial. Suas qualidades eram tantas que logo eu estava encantado por ela. É obvio que ela tem seus defeitos, mas são aceitáveis.

    É obvio que essa garota é você, e que não importa os desafios que já teve, ou que terá, você tem a força necessária para vencer a todos.

    Se eu pudesse tinha lhe dado o dia de aniversario perfeito, não porque sou bom, mas porque você merece muito. Você sempre será especial em minha vida, seja para onde o destino nos levar... Te adoro!

    ResponderExcluir