BEDA #27 Diário #1 Respira e Segue.

27 abril 2017


Hoje o dia não foi nada legal.
Me vi a mesma pessoa de um ano atrás, aquela que teve que largar algumas coisas pra começar a respirar. Acredito que o nome disso seja medo.
Ando sendo uma pessoa muito medrosa, sempre querendo fugir quando as coisas apertam, mesmo sabendo que uma hora ou outra eu precisarei enfrentar tudo de uma vez. 
Começo a colocar coisas demais nas costas e o simples "ter que fazer" me deixa com medo, fazendo assim com que eu não consiga dar andamento a nada.
Tenho uma vida fácil, pois é, eu sei. Podia ser pior, também sei. A questão é que cada um enfrenta os seus problemas da sua maneira, e ultimamente venho sentido um peso que não deveria sentir.
Começo a pensar que fazer as coisas sozinha talvez não seja tão fácil assim. Parece fácil, não é?! Mas não...
Não é fácil se disciplinar para acordar cedo todos os dias e criar sua própria rotina. Não é fácil estudar duas coisas sozinha, não é tão legal ficar pesquisando as coisas no google quando tem dúvida, as vezes faz falta um professor. 
As vezes faz falta alguém que chegue em você e te diga o que fazer.
Adulta...
Então era isso. Não ter obrigação, ou ao menos não ter alguém que te cobre. Mas quem precisa de alguém, quando você mesmo se cobra?
Hoje foi um desses dias que eu comecei a fazer as coisas e então fui vendo a bola de neve que elas tinham virado.
Eu comecei a fazer, perdi um pouco a cabeça, respondi um questionário sem estar de fato ali e não fui tão bem, isso me desanimou ainda mais.
Então levantei, andei pela casa com os pés no chão e tentei me lembrar de todas as vezes que eu achava que estava em uma bola de neve enorme e consegui sair dela... Foram muitas, vivo me metendo em várias. 
Fiz algumas coisas, fui dormir um pouco, entrei no pinterest e perdi alguns minutos e depois sentei em frente ao meu bullet journal e planejei o dia seguinte como se nada tivesse acontecido.
A real é que não adianta surtar, porque a única coisa que eu ganho com isso é uma interminável dor de cabeça. 
No fim do dia comecei a pensar em coisas boas e me perguntei porque não fiz isso desde o início, afinal como diz a famosa lei da atração "atraimos aquilo que pensamos".
O resultado foi um "colo", alguém pra me escutar e pra me dizer que tudo bem, as coisas iam passar, e mesmo que não passem, essa pessoa estaria ali e isso já basta. Também acabei tendo novas ideias nas horas que passei no pinterest e li uma frase que me ajudou muito "seus resultados, não são o que você é" e fez todo sentido.
Cliquei em um link sem querer e fui parar em um blog, lá fui clicando em postagens aleatórias e elas fizeram sentido. E mais uma vez perguntei "porque não comecei a pensar em coisas boas no começo do dia?".
A dor de cabeça passou, eu consegui respirar. Amanhã? Um novo dia.
O relógio tá programado pra daqui a pouco, mas não adianta mais me desesperar. Tô bem. Tá tudo bem.
O dia acabou. Já começou outro. Vou tentar de novo. O que deu errado virou aprendizado pra não repetir.
Agora fecho os olhos mais leve por depositar tudo que sinto nas palavras. Na barra de favoritos um novo blog, com a lembrança de um dia ruim que acabou bem. Nos fones de ouvido uma música do John Mayer - uma das que eram minhas preferidas e eu só lembrei dela hoje quando estava de mal humor, enjoada de tudo que ouvia ultimamente.
Fecho os olhos, conto até dez e me lembro que amanhã tenho a oportunidade de fazer tudo de novo.
Caso dê certo, ou caso dê errado, a vida segue.
Respiro, sigo e uma hora me acho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário