BEDA #28 Eu Li: Talvez um dia

28 abril 2017

Oi, como vocês estão?
Hoje vim falar de uma das minhas autoras preferidas da vida <3


Sinopse: Um dos livros mais comentados de 2015, nos Estados Unidos, este é mais um sucesso arrebatador de Colleen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless. Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex- melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.

Comecei esse livro com o pé atrás, devo confessar, por saber que se tratava de traição e tudo mais. Mas confiei na escrita da Colleen e fui.
O livro é narrado de dois pontos de vista, o da Sidney e o do Ridge. Todos os dias, no mesmo horário, Ridge senta em sua varanda e toca em seu violão, enquanto do outro lado, Sidney senta em sua varanda e assiste a tudo. - Quando eu vi que mexeria com muita música, já fui ficando mais apaixonada, tenho que concordar. - Eles tem uma conexão musical muito grande, afinal enquanto ele toca, ela começa criar letras para suas melodias.
Ele está com algumas dificuldades em criar suas próximas letras e vê nela a oportunidade que precisa, mas o que era pra ser apenas um contato profissional, acaba virando muito mais.
É ai que entra o problema - Pra mim pelo menos...
Vamos lá...
Sidney namorava, tinha uma melhor amiga maravilhosa e de repente descobriu que eles estavam traindo ela pelas costas. Só ai eu já fiquei mal por ela.
Ridge namora o amor da sua vida a anos, eles aparentemente não tem problemas nenhum em seus relacionamentos. Mas ai ele começa a se apaixonar pela Sidney.
Ai que Colleen pega na ferida e aperta. É difícil pra mim engolir traição, seja ela qual for, seja pelo que for.
A autora consegue passar toda emoção, toda dor, toda "realidade" da coisa, entendem? E isso sempre foi a coisa que mais me atraiu em seus livros. Eu sempre me emociono, sinto raiva, fico feliz, penso, sempre passo por um turbilhão de sentimentos enquanto leio algo dela e dessa vez não foi diferente.
A deficiência de Ridge não atrapalha as coisas, e sim mostra que as coisas podem ser perfeitas exatamente como são.
Eu fiquei muito confusa enquanto lia, porque quando eu começava a torcer demais pra algo dar certo, eu já pensava "ele namora, isso tem que parar" e esse conflito durou até o fim do livro, até todas as explicações e tudo mais.
Nesse livro a gente vai ver personagens amadurecendo, mudando, se reinventando, vencendo dificuldades de maneiras incríveis e nossa... Só lendo pra entender tudo o que se passa.

Recomendo essa leitura sempre para as pessoas, porque gosto da carga emocional que a autora sempre me passa através de suas histórias.

E vocês, já leram? O que acham sobre essa questão?
Beijinhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário